Buscar
  • Dagomir Marquezi

O primeiro avião ninguém deveria esquecer



Este foi o primeiro avião da minha vida. Um Aero Commander. O ano deve ser 1965 ou 1966. Eu estou fantasiado de Illya Kuryakin com minha gola rolê, meus óculos escuros e minha botinha Jovem Guarda. Ao meu lado está o Ricardo de Oliveira Pinto, vulgo Boi. O pai do Ricardo era engenheiro na represa de Urubupungá, que estava sendo construída e nos cnvidou para uma visita. Quem tirou a foto foi o William Waack.


Fomos até lá de trem até Baurú, depois numa perua C-14. Mas a volta foi nesse Aero Commander. Eu já tinha um desejo desesperado de viajar de avião. Não precisava nem ser na janelinha. Pois eu entrei nesse bimotor e o piloto me disse: "vou sem copiloto. Quer se sentar no lugar dele?"


Meu coração deu saltos ao saber que meu primeiro voo seria no posto de copiloto. Muito mais que janelinha. E ainda vestido como meu ídolo, Illya Kuryakin. Atravessamos o estado de São Paulo e quando nos aproximamos da capital começou uma chuva daquelas. Foi muita emoção para meus 12 ou 13 anos. Depois a chuva passou e eu me lembro de fotografar lá de cima o primeiro shopping do Brasil, o Iguatemi. Acho que só tinha um andar na época, e nenhum edifício ao redor.


Nunca mais parei de me sentir muito louco quando subo num avião. Pelas minhas anotações já fiz 541 viagens e tenho 816 horas de voo. Mas a emoção parece a mesma de quando subi nesse Aero Commander em Urubupungá.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo